\\ Texto Maria Amélia Pires
\\ Fotografia Direitos Reservados

Festival Internacional dos Nómadas

Tradições seculares

A 14.ª edição do Festival Internacional dos Nómadas, evento gratuito organizado pela Associação «Nómadas do Mundo» desde 2004 e que tem como objetivo manter viva a cultura, o património material e imaterial, e as tradições seculares das tribos nómadas, realizar-se-á de 16 a 18 de março de 2017 em M'hamid El Ghizlane, o último oásis antes do Sahara Marroquino, a 90 quilómetros de Zagora, no Vale do Drâa.

Em 2016 o número de visitantes chegou aos 15 mil, esperando-se que este ano cerca de 30 mil não fiquem indiferentes ao tema principal da edição – o património e a história da região Drâa-Tafilalet, antigo ponto de encontro na rota comercial das caravanas – e aos três dias de música, dança, desportos tradicionais, gastronomia típica dessas tribos, debates, ateliers e muitas outras atividades.

O mítico guitarrista tuaregue Bombino, o grupo maliano Terakaft e um trio de grupos polacos (Dikanda, Dudy Skrzypce e ainda a dançarina de Flamenco Magda Navarrete) são alguns dos convidados estrangeiros que farão parte do cartaz da programação musical. Marrocos será representado por Nass El Ghiwane, Gnawas Mehdi Nassouli, saharaoui Saïda Charaf, e ainda Mouloud Jaaba, Mohamed Jbara e Ahwach Ouarzazate, nas danças tradicionais. Ajial M'hamid e Groupe Charq serão os grupos que representarão os jovens músicos da aldeia.

Se os dias começam com atividades tradicionais dos nómadas sarianos, as noites estão reservadas à magia dos sons dos nómadas do século XXI com concertos ao ar livre, sempre com o objetivo de refletir sobre as soluções para o futuro do nomadismo num Sahara que viu a sua população de nómadas decrescer 70% na última década.

PARTILHAR O ARTIGO \\