\\ Texto Maria Amélia Pires
\\ Fotografia Direitos Reservados

Vespa mais antiga do mundo

Leiloada pela Catawiki

Reconhecida como um dos símbolos do pós-guerra e imortalizada em filmes de culto como Férias em Roma (1953) – em que era conduzida por Gregory Peck, com a «princesa» de Audrey Hepburn, no centro histórico da capital italiana –, ou A Doce Vida (1959) – em que Marcello Mastroianni, um jornalista especializado em histórias sensacionalistas, nela percorria a Via Veneto para fotografar celebridades –, a Vespa tornou-se num marco made in Italy que conquistou milhões de pessoas em todo o mundo.

Os registos da Piaggio revelam que, antes de ser produzida de forma industrial, o que aconteceu entre 1946 e 1948, com a produção de 15.000 Vespas, houve uma pré-produção de 60 unidades, construídas manualmente em 1946, das quais restam apenas três. A «número 3» da série zero, ou seja, a número 1003, já que a numeração iniciava em 1001, esteve no passado mês de março em leilão na plataforma Catawiki (portal de leilões na Internet), tendo sido de 182.499 euros a licitação vencedora.

A mais antiga Vespa de que há conhecimento, veracidade confirmada pelo número de chassis, é, segundo o especialista Davide Marelli, que realizou a avaliação, uma autêntica raridade. «Este lote integra uma peça única da história italiana e esperamos que desperte o interesse de um colecionador, museu ou associação que queira preservar um objeto tão especial», revelou o avaliador antes do leilão.

Em jeito de curiosidade: No final da II Guerra Mundial, Enrico Piaggio, o diretor da empresa à época especializada na produção de comboios e aviões, pediu a um dos seus engenheiros que produzisse uma motocicleta que pudesse ser utilizada por todos. Não convencido com o resultado (motocicleta Piaggio #5 – MP5), Piaggio substituiu o engenheiro por um outro, desta vez aeronáutico, Corradino D'Ascanio, responsável pela criação do objeto que se tornou num símbolo italiano em todo o mundo.

PARTILHAR O ARTIGO \\