\\ Texto Maria Amélia Pires
\\ Fotografia Direitos Reservados

Pedro Almendra

Nomeado Melhor Ator de Teatro

Nomeado pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) como Melhor Ator de Teatro de 2016, Pedro Almendra não foi o vencedor na gala Prémio Autores 2017, que aconteceu no dia 15 de março, no Centro Cultural de Belém (CCB) em Lisboa, mas a sua brilhante prestação em Os Últimos Dias da Humanidade valeu-lhe a nomeação, o que por si só é uma vitória. Pedro Almendra já tinha sido nomeado em 2015 na mesma categoria, com a prestação em al mada nada. Os outros nomeados, figuras de peso do teatro português, foram António Marques, em Guernica, e João Perry, em O Pai, tendo este último levado o galardão.

Os Últimos Dias da Humanidade, de Karl Kraus, produzido pelo Teatro Nacional São João (TNSJ) que contou com a encenação conjunta de Nuno Carinhas e Nuno M. Cardoso, é um relato documental do imenso material que Karl Kraus compilou durante a Primeira Guerra Mundial. As 209 cenas do texto do dramaturgo alemão foram compiladas pelo TNSJ na versão apresentada no final de 2016, quer no TNSJ quer no Teatro Nacional D. Maria II.

Pedro Almendra é um ator português que tem integrado o elenco de alguns dos mais marcantes espetáculos de teatro. Licenciado em Teatro pela ESMAE, é ator profissional desde 1998, tendo já participado em espetáculos de criadores como Afonso Fonseca, João Paulo Costa, Marcos Barbosa, Emília Silvestre, Lautaro Vilo, Ana Luena, entre outros. Iniciou em 2003 a sua colaboração com o TNSJ, onde trabalhou regularmente com Ricardo Pais e Nuno Carinhas. Em cinema, integrou o elenco das curta metragens Acordar (2001), A Bela e o Paparazzo (2009) e Sobre el Cielo, (2014). Tem dirigido seminários e workshops, é docente de Voz e Interpretação, sócio da Bastidor Público (estrutura de investigação, formação e criação artística) e cofundador da associação Mundo Razoável.

PARTILHAR O ARTIGO \\