\\ Texto Maria Amélia Pires
\\ Fotografia Direitos Reservados

Exposição no Museu do Fado

Fados de Carlos Saura | 10 Anos

Inaugurada no passado dia 20 de maio, no Museu do Fado, em Lisboa, a exposição Fados de Carlos Saura | 10 Anos, com curadoria do próprio realizador espanhol, Carlos Saura, e Ivan Dias, reúne várias artes de um mesmo artista que se combinam para refazer o mosaico de uma fascinante viagem.

Em 2007, Carlos Saura realizou, editou e estreou o filme Fados, encerrando a sua trilogia (Flamenco,1995, e Tango, 1998) das músicas urbanas da geografia ibero-americana, ou canções de ida e volta, como sempre gostou de chamar-lhes. Deu-lhe o nome Fados porque entendeu que o género português compreendia múltiplos universos, desencadeando inúmeras leituras e afinidades com outras expressões musicais. Em Fados, o seu olhar plural reuniu as vozes de Amália, Lucília do Carmo e Alfredo Marceneiro, Mariza, Carlos do Carmo, Carminho, Camané e Ricardo Ribeiro, mas também de Caetano Veloso, Chico Buarque, Lura, Lilla Downs ou Miguel Poveda.

Agora, passados que são dez anos, a exposição Fados de Carlos Saura|10 anos pretende revisitar a viagem do realizador Carlos Saura pelo universo do Fado, através dos seus fotosaurios (técnica de pintura sobre fotografia que desenvolve desde o início dos anos 90) e story boards, desenhos e anotações, pinturas, guiões, adereços e várias câmaras fotográficas construídas por si que testemunharam e acompanharam a construção do seu olhar sobre a canção urbana de Lisboa.

Pintura, desenho, fotografia, ficção, música e dança… todas as artes se cruzam no universo criativo singular de Carlos Saura, homenageando vozes, músicas, bailarinos e o Fado, como género português que encerra múltiplas identidades. Fados de Carlos Saura|10 anos estará patente até ao dia 8 de outubro desde ano.

PARTILHAR O ARTIGO \\