A Sustentabilidade do Mercado Imobiliário

Arménia Moreira da Silva

Administração Porto Capital

A retoma do mercado imobiliário em Portugal é um facto. Mesmo assim, talvez fruto da crise imobiliária que afectou gravemente o nosso país, fala-se de uma nova bolha imobiliária. Contudo, e analisando os números publicados, constata-se que tais receios são infundados, verificando-se, a contrario, a existência de um crescimento sustentado. 

Contribuindo para esse cenário, temos neste momento as taxas de juro a níveis historicamente baixos, o que permite que o investimento no imobiliário continue a ser muito apetecível e atrativo, dada a possibilidade de retorno que não é possível encontrar noutras formas de investimento. Por outro lado, o incremento do turismo em Lisboa e Porto contribuiu para um dinamismo sem precedentes na hotelaria e no investimento imobiliário, tendo sido estas as áreas de maior crescimento em 2017.

Na promoção imobiliária, fortemente impulsionados por esse ‘boom’ do turismo, nos últimos anos, dominam os projetos de reabilitação nos centros históricos de Lisboa e Porto, com predomínio do segmento do mercado imobiliário para investimento.

A enorme procura e valor atribuído à habitação de luxo, retalho de luxo e hotéis tem absorvido os edifícios de uso indefinido que se encontram em mau estado e também alguma oferta obsoleta de edifícios de escritórios. Quanto a este último segmento, o mercado ocupacional, neste momento ainda existe uma oferta de qualidade média a escoar, mas no curto prazo até esta vai ser ocupada. Quando isso suceder, as rendas começarão a crescer e a aparecer projetos de escritórios para um prazo de 18 a 24 meses.

Em 2016, o mercado português de investimento em imobiliário comercial transaccionou 1.254 milhões de euros, sendo o segundo ano desde 2007 que é superada a barreira dos 1.000 milhões. Quanto ao Porto, encontra-se previsto um investimento que certamente deixará uma forte marca na cidade, curiosamente fora dos pontos considerados estratégicos e mais atrativos para os investidores (centro da cidade e zona histórica), verificando-se que a oferta é elástica, acompanha a procura que é crescente, sendo este um dos índices de referência (entre outros) para aferir a sustentabilidade deste crescimento.

É o que sucede com o fundo de investimento saudita MEFIC Capital e a gestora inglesa de activos imobiliários Round Hill Capital, que anunciaram o investimento de 100 milhões de euros num projeto imobiliário em Paranhos, Porto. Este projeto vai criar novas e melhores condições para acolher todo o tipo de pessoas que procuram cada vez mais a cidade do Porto para estudar, trabalhar e visitar. 

PARTILHAR O ARTIGO \\