Do Turismo

António Rebelo de Sousa

Defendo a tese - algo polémica - de que caminhamos para uma IV Revolução Industrial e de Serviços, em que os sectores da Saúde e da Energia desempenharão um papel crucial.
Com a descoberta da cura de alguns tipos de cancro e do VIH - Vírus da Imunodeficiência Humana, novos medicamentos surgirão, bem como novos equipamentos médicos, conduzindo a um aumento da esperança de vida à nascença. Novas atividades conhecerão um grande desenvolvimento como, por exemplo, o Turismo de Saúde e o Turismo de Terceira Idade.

Com a utilização de novas tecnologias no sector energético, como sucede com o shale gas e com o shale oil, nos EUA, os custos marginais de produção diminuirão, o que permitirá dar um novo impulso expansionista à economia mundial, com alterações nos padrões de vida de muitos milhões de cidadãos do mundo.

É neste contexto - e sem prejuízo do reconhecimento dos muitos atrasos e assimetrias existentes nas diversas periferias - que faz sentido ter uma perspetiva moderadamente optimista em relação ao futuro do Turismo em Portugal.

Muito em particular, contando o nosso país com boas infraestruturas e com bons profissionais na área da saúde, com um magnífico clima e com uma para-centralidade que resulta da sua excelente localização geográfica, afigura-se possível e desejável apostar em sectores como os do Turismo de Saúde e do Turismo de Terceira Idade, entre outros.

Portugal terá que desempenhar, também, o seu papel na dita IV Revolução Industrial e de Serviços.

Nem mais, nem menos...

PARTILHAR O ARTIGO \\