Turismo de Saúde em Portugal

José Carlos Noronha

Ortopedista Hospital da Ordem da Trindade - Porto

Viajar por motivos de saúde é uma atividade com uma história quase tão longa quanto a humanidade. Egípcios, gregos e romanos faziam-no regularmente em nome do bem-estar físico e mental. Ao longo dos anos, Portugal especializou-se e destacou-se nas rotas do turismo de saúde, nomeadamente através do desenvolvimento de pólos tecnológicos, como forma de resposta à crescente procura, tanto para a cura de doenças como para usufruir de passeio e descanso, acompanhando as tendências internacionais.

Portugal subiu recentemente mais um lugar a nível mundial, sendo o 14.º país mais competitivo no sector turístico, de acordo com o Fórum Económico Mundial. Por outro lado, ocupa a 14.ª posição do ranking da Organização Mundial de Saúde (OMS) dos melhores sistemas de saúde no mundo, surgindo à frente do Reino Unido (15.º) e de Espanha (18.º). O reconhecimento internacional da investigação nacional e o avultado investimento na área da saúde colocam Portugal num patamar privilegiado de competitividade, não só com os concorrentes europeus, como com os não europeus próximos, ou países mais distantes com particularidades como a diáspora portuguesa no mundo, ou os países africanos (PALOP).

A globalização aproximou médicos e pacientes, de tal forma que já não se procura só o tratamento absolutamente necessário, como a colocação de uma prótese num joelho ou a excisão de uma catarata, mas o tratamento eletivo como a melhoria estética de alguma parte do corpo, a colocação de um implante dentário ou um tratamento de fertilidade. O crescimento e expansão dos voos de companhias aéreas regulares e low-cost tiveram e continuam a ter um papel fundamental nesta aproximação. Atualmente, a partir de Portugal, chegamos rápida e diretamente a qualquer ponto da Europa ou do mundo. Assim surgiram prestadores de Turismo Médico, sendo a OportoHealth Tour um dos primeiros no norte do país, que asseguram que todos os serviços incluídos na viagem são acordados e salvaguardados antes mesmo da experiência se realizar.

O Turismo Médico, em Portugal e no mundo, já movimenta milhões e Portugal apresenta-se na senda da busca do seu lugar neste nicho. Nos últimos dez anos esta indústria apresentou um crescimento notável. Deixou de ser direccionado unicamente para a vertente do relaxamento e passou a incidir sobre necessidades médico-cirúrgicas. Não têm obrigatoriamente que se dissociar, mas complementar, num único propósito, a saúde e bem-estar do paciente. Num futuro próximo será mais do que uma necessidade, mas uma forma de estar, natural e em equilíbrio com o desenvolvimento do séc. XXI. 

PARTILHAR O ARTIGO \\