Pedro Sottomayor

1.º Torneio de Golfe adaptado...

\\ Texto Maria Amélia Pires
\\ Fotografia Direitos Reservados

Poderia ser uma história de vida como outra qualquer, e de facto é, se pensarmos que obstáculos todos encontram no caminho. A diferença está numa enorme vontade de viver, no facto de acreditar que «o cérebro apaga rapidamente os maus momentos e retém os bons!». Pedro tem essa persistência inabalável, essa alegria contagiante, que faz com que nos sintamos pequenos. A Esclerose Múltipla, que paulatinamente o fez ‘rolar’ em vez de andar, nunca o impediu de viver plenamente e de fazer o que o faz feliz.

«Sou um afortunado, vivo rodeado de família, amigos e bons momentos!»

Pedro Sottomayor nasceu a 22 de Outubro, no Porto, na década de 1960. Frequentou o curso de Direito e a sua atividade profissional esteve sempre ligada à área empresarial, como gestor e/ou fundador de várias empresas. É casado e tem três filhos.

Começou a jogar golfe com 20 anos, mas lembra-se de ficar intrigado na sua infância com os «pregos de madeira» (tees) que o avô, jogador da modalidade, tinha lá por casa. Em 1993 foi-lhe diagnosticada Esclerose Múltipla, mas nunca pensou em desistir, porque, diz-nos: «Sou um afortunado, vivo rodeado de família, amigos e bons momentos!». 

Agradece ao seu amigo alemão Christian Nachtwey o facto de poder continuar a jogar golfe com qualidade. Christian Nachtwey, tendo ficado paraplégico num acidente, não baixou os braços e inventou as Powergolf e Paragolfer, cadeiras de rodas que permitem a verticalidade do jogador. «Neste momento, que saiba, sou o único, em Portugal, a praticar esta variante da modalidade», explica-nos, acrescentando, com graça, «o que faz de mim campeão nesta categoria!». Refere ainda que «é possível comprar um equipamento destes em Portugal, basta ter um computador ligado a internet! Para experimentar eu disponibilizo o meu a quem estiver interessado, só tem de vir a Vale Pisão». Questionado sobre o preço dos equipamentos, Pedro diz que «não é propriamente pouco dinheiro», por isso seria importante haver «patrocínios de empresas para a aquisição de cadeiras e a sua disponibilização em clubes de golfe. A partir daí seria possível aos clubes trabalhar com as instituições da sua região para trazerem os seus utentes para uma experiência de golfe. Então aí estariam criadas as condições para ter um universo de potenciais jogadores e para dinamizar a modalidade nesta categoria!».

Pedro Sottomayor

Vale Pisão recebeu o 1.º Torneio Golfe Adaptado Intercontinental 2017

Foi precisamente no sentido de dinamizar o golfe adaptado que Pedro aceitou o convite de Christian Nachtwey para fazer a ponte entre ele e os seus clientes brasileiros, «surgindo assim a oportunidade de juntar num torneio um português, um alemão e dois brasileiros. Daí em diante foi o entusiasmo de todos que permitiu dar ao evento alguma visibilidade».

E foi no dia 2 de Junho que o Vale Pisão recebeu o 1.º Torneio Golfe Adaptado Intercontinental 2017. A boa disposição e o convívio imperaram ao longo da competição, o que contribuiu para um excelente dia de golfe. O vencedor, com 32 pontos, foi precisamente Pedro Sottomayor, que afinal, dizemos nós com graça, não é apenas o campeão português!

Ainda que oficialmente reformado, Pedro está ligado à gerência de restaurantes, mas a maior parte do seu tempo dedica-o aos seus hobbies: o golfe e a equitação. Pedimos-lhe uma mensagem, em jeito de despedida, mas não seria preciso, porque a maior mensagem de esperança não está nas palavras, mas na forma como vive!

PARTILHAR O ARTIGO \\