Rijksmuseum

A Arte e a História

\\ Texto Maria Amélia Pires
\\ Fotografia ©Rijksmuseum

Situado ao lado do Museu Van Gogh, na Praça dos Museus, em Amesterdão, o Rijksmuseum (Museu Nacional) é talvez o melhor Museu da Holanda e visitá-lo é fazer uma viagem no tempo, conhecendo a arte e a história desde a Idade Média até ao século XX. Com a maior colecção de quadros do Século de Ouro Holandês, o Museu atrai mais de dois milhões de visitantes por ano. Poucos países tiveram tamanha produção artística e com tal qualidade como a Holanda desse tempo. Parte desses tesouros está exposta neste imenso edifício de elementos góticos e renascentistas.

O Rijksmuseum abriu as portas em 1800 com o nome Nationale Kunstgalerij. Na época, estava instalado em Haia. O edifício atual, em Amesterdão, cujo traço é do arquiteto Pierre Cuypers, foi posto em uso em 1885. Durante a sua existência, passou por muitas transformações. A renovação mais recente reintegrou a estrutura original de Cuypers, e as pinturas, a arte aplicada e a história passaram a integrar um único circuito cronológico.

Nas suas colecções, divididas por quatro pisos e 80 salas, estão obras-primas dos maiores pintores holandeses e de outros grandes mestres da pintura, como Rembrandt, Jacob van Ruysdael, Frans Hals, Johannes Vermeer, entre muitos outros. Hoje em dia, Rijksmuseum é um museu completamente modernizado, com exposições fascinantes, eventos direccionados para todas as idades, atividades para grupos, restaurante, dois cafés, óptimos acessos para quem tem mobilidade reduzida, etc. Privatizado em 2005, sendo hoje uma Fundação, o Rijksmuseum mantém, administra, conserva, restaura, pesquisa, prepara, recolhe, publica e apresenta objetos artísticos e históricos.

PARTILHAR O ARTIGO \\