Ansiamos por esses líderes!

José Manuel Fernandes

Eurodeputado

O mundo está cada vez mais egoísta. O Brexit, a tentativa de independência da Catalunha, a eleição de Trump e o regresso dos nacionalismos são alguns exemplos de prova. Estou certo de que, se o Reino Unido fosse pobre e recebesse do orçamento da UE mais do que aquilo que paga ou se a Catalunha dependesse do orçamento de Espanha, não pretenderiam a «independência». Este egoísmo deriva para a xenofobia. Os auto-intitulados ‘verdadeiros’ finlandeses, americanos, franceses, alemães e holandeses, o «América First» de Trump ou o «La France em Premier» de Le Pen procuram dispensar o outro. Acontece que temos economias desmaterializadas e interdependentes, as fronteiras já não existem. Para termos sucesso, precisamos que o «outro» tenha sucesso. O orgulhosamente sós, o ‘cada um por si’, não é solução.

Na UE, a extrema direita expande-se a norte e a extrema esquerda a sul. Ambos os extremos defendem o proteccionismo, o fim do euro. Arrogam-se os únicos defensores do povo. A globalização terá de significar reciprocidade, favorecer a mobilidade social, consagrar a sustentabilidade ambiental. Para isso, temos de atuar em conjunto, partilhar, praticar uma verdadeira solidariedade de facto.

A complexidade do mundo exige homens bons que defendam a dignidade humana, se inspirem nos valores da liberdade e solidariedade e tenham preparação. Cito o Papa Francisco: «A política não é ‘a arte da improvisação’, mas uma expressão nobre de abnegação e dedicação pessoal em benefício da comunidade. Para ser líder são necessários estudo, preparação e experiência». Ansiamos por esses líderes!

 

PARTILHAR O ARTIGO \\