Prova Vertical 20 Vindimas da Quinta Vale D. Maria

História e aromas à mesa

\\ Texto Maria Cruz
\\ Fotografia Direitos Reservados

Para além da marca Quinta Vale D. Maria, a empresa produz, ainda, as marcas VZ, Van Zellers e Curriculum Vitae.

Foi no calor da casa da Quinta Vale D. Maria, enquanto a noite fria lá fora gelava as paisagens, que, no passado dia 25 de Janeiro, Cristiano van Zeller, promotor do projeto Douro Boys, enólogo e fundador da herdade, nos foi dando a conhecer a história da Quinta e os aromas dos magníficos vinhos por ele produzidos. Assinalando os 20 anos de narrativas, a família van Zeller convidou-nos a apreciar algumas das relíquias do tempo. E a noite começou com o Vale D. Maria VVV Valleys Douro Branco 2015 (um vinho fruta vibrante no nariz e amadeirado) e com o Vale D. Maria Vinha de Martim Douro Branco 2015 (um vinho extremamente fresco e equilibrado); seguiu-se o Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca Douro Tinto 2011 (contém uma frescura marcante), também o do ano 2012 (com aromas a frutos vermelhos maduros) e o do ano 2013 (um vinho com um final de boca fresco). Foram-nos apresentados também o Quinta Vale D. Maria Vinha do Rio Douro Tinto 2011 (um vinho de cor intensa), também o do ano 2012 (denota uma complexidade e elegância) e o do ano 2013 (possui a presença de fruta madura). Enquanto o jantar decorria foi-se provando e saboreando cada um dos orgulhosos néctares. Por último, foi-nos dado a conhecer o Quinta Vale D. Maria Vintage Porto 2000 (o ex-libris da noite). Uma noite agradável, com vinhos do Douro, antevia, pois, a Prova Vertical 20 Vindimas da Quinta Vale D. Maria que se iria realizar no dia seguinte.

Ao longo de duas décadas, 20 vindimas foram traçando o percurso da Quinta. E, por isso, Cristiano van Zeller quis dar a conhecer, na Prova Vertical, que decorreu já no dia 26, no Wine Library do magnífico Hotel Six Senses Douro Valley, a nova geração de vinhos. Oriundos da região demarcada do Douro, Património da Humanidade, a sua qualidade é a característica que melhor os distingue. E, nesta prova, foram apresentados 20 vinhos emblemáticos (um por cada ano):  Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 1996 (1.ª vindima, vinho forte); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 1997 (ano chuvoso, final de boca suave); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 1998 (volume, secura de taninos); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 1999 (sabor intenso na boca); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2000 (excelente no final de boca); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2001 (incorporado e fresco); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2002 (quente e concentrado); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2003 (vinho quente e intenso no aroma); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2004 (sente-se o álcool, a madeira e um sabor suave no final de boca); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2005 (ano seco, a frescura mantém-se e a acidez total); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2006 (ano de granizo); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2007 (fresco, vinho excepcional); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2008 (equilíbrio, frescura e elegância); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2009 (sente-se o álcool, cor intensa e estrutura); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2010 (fresco e forte no final de boca); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2011 (ano vintage, vinho poderoso e quente); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2012 (fresco, complexo); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2013 (puro); Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2014 (forte); e, por último, o Quinta Vale D. Maria Douro Tinto 2015 (forte e qualidade excepcional). Todos os vinhos são equilibrados e sente-se a sua evolução. A nossa predilecção vai para os anos de 2001, 2002, 2004, 2008, 2009, 2010, 2012, 2014 e 2015. Depois da prova realizada, seguiu-se o almoço onde foi apresentado o lançamento das novas colheitas (2015 e 2016). Excepcional.

Cristiano van Zeller adquiriu a Quinta Vale D. Maria (uma quinta do século XVIII), em 1996, tendo-a comprado à família da sua esposa Joana. Desde então, desenvolveu o projeto vinícola que hoje se orgulha de mostrar, os vinhos Douro DOC e Vinhos do Porto. A Quinta encontra-se no coração do Douro, ao longo do vale do Rio Torto, e é detentora de 45 hectares de vinhas – algumas delas com mais de cem anos. No passado mês de Julho de 2017, a Quinta Vale D. Maria fez parceria com o Grupo Aveleda, com o intuito de juntos assegurarem a continuidade da identidade e a qualidade dos vinhos.

 

PARTILHAR O ARTIGO \\