Casa de Chá da Boa Nova

The Sea at your Table

\\ Texto Estela Ataíde
\\ Fotografia Casa de Chá da Boa Nova

Aninhada nos rochedos, separada do mar por meros dois metros, a Casa de Chá da Boa Nova vive numa equilibrada simbiose com a natureza, plenamente inserida na paisagem que a envolve. Construído em Leça da Palmeira, Matosinhos, entre 1958 e 1963, o icónico edifício foi um dos primeiros trabalhos na carreira de Siza Vieira, que viria a ser galardoado, em 1992, com o Prémio Pritzker, o «Nobel» da arquitetura. Recuperada após alguns anos de triste abandono, sempre sob o olhar atento do arquiteto português, a Casa de Chá da Boa Nova reabriu ao público em 2014 sob a batuta do chef Rui Paula.

De janelas abertas para o horizonte, a Casa de Chá da Boa Nova foi agraciada com um novo fôlego, vendo resgatados o encanto e a singularidade que levaram à sua classificação, em 2011, como Monumento Nacional. Uma referência internacional em termos arquitetónicos, o espaço reúne agora todos os argumentos para se tornar também num dos principais spots gastronómicos de Portugal.
Mantendo a arquitetura original, apresenta-se agora como um «restaurante gastronómico» com capacidade para 50 pessoas, no qual a vista para o mar se associa a um serviço personalizado para criar uma experiência memorável. Na sala de espera, com serviço de bar, a paisagem é a companhia ideal enquanto se aguarda pela oportunidade para degustar as iguarias do chef Rui Paula.  
Com a concessão do imóvel por 20 anos, Rui Paula, com um percurso de sucesso nos restaurantes DOC e DOP, encontra-se perante um considerável desafio, talvez o maior da sua carreira. «A Casa de Chá da Boa Nova está associada a um grande nome da arquitetura, é uma casa cheia de história, monumento nacional», explica o chef, que se preocupa em não «defraudar a expectativa que existe por parte das pessoas». 

Rui Paula criou uma carta que reflete a forte ligação da Casa de Chá da Boa Nova com o mar.

Tendo como lema «o bem comer e o bem servir», Rui Paula criou uma carta rica em composições que tiram partido da extraordinária qualidade do peixe e do marisco desta zona costeira, refletindo a forte ligação da Casa de Chá da Boa Nova com o mar. Além de três menus de degustação ? «O Mar e a Terra» e «Atlântico», ambos com nove propostas culinárias e algumas surpresas do chef, num total de 14 sequências, e o menu «Boa Nova», com seis sugestões opcionais ?, a carta inclui ainda os clássicos «Arroz caldoso de peixe e lavagante da nossa costa», «Cataplana de peixe e marisco» e «Boi maturado nas brasas com batata e esparregado de nabiças».
O serviço de vinhos, com mais de 450 referências provenientes das principais regiões vitivinícolas de Portugal e do mundo, permite interessantes harmonizações com as propostas do chef Rui Paula, defensor de que a seleção do vinho é determinante para desfrutar na plenitude das suas criações gastronómicas. E desta harmonia de sabores e sentidos, entre um espaço requintado e pratos exímios, nasce uma experiência de excelência.

PARTILHAR O ARTIGO \\