Ponte de Lima

Uma História com Futuro

\\ Texto Carolina Xavier e Sousa
\\ Fotografia 2 ©Manuel Teixeira; 6 F.Piqueiro/Foto Engenho

Nas margens do Rio Lima e da ponte medieval que o atravessa desenha-se a silhueta de uma das mais bonitas vilas portuguesas. Sede do concelho homónimo, dividido em 39 freguesias, Ponte de Lima afirma-se como «a mais antiga vila de Portugal», herdeira de um património histórico, natural, cultural e gastronómico que a coloca entre os destinos mais procurados do norte do país. Além dos inúmeros eventos e iniciativas que dinamiza anualmente, Ponte de Lima apresenta-se em 2015 como «a capital mundial dos jardins», tendo prevista a inauguração de vários espaços, e um conjunto de outros projetos no horizonte, que decerto escreverão as páginas do seu futuro.

Ó Terra onde eu nasci, terra de encanto,
Cheia de graça, ó cheia de beleza,
Deixa afirmar nas vozes do meu canto,
Que és a mais linda terra portuguesa!
 
Teófilo Carneiro
Poeta e político português [1891-1949]

©Manuel Teixeira

Victor Mendes
Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima
 
«Somos um dos concelhos mais visitados do país»
 
Gozando de uma saúde financeira invejável, com um saldo que ronda os 14 milhões de euros, o município de Ponte de Lima é liderado por Victor Mendes desde em 2009. Numa breve conversa com o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, procurámos perceber as prioridades do concelho mais jovem do distrito de Viana do Castelo, a dinâmica empresarial que aqui se faz sentir, os projetos previstos e os esforços que Ponte de Lima tem levado a cabo com o intuito de se afirmar como um território de excelência e de se projetar no contexto nacional e internacional.
 
Quais são as prioridades do concelho de Ponte de Lima?
Para o presente mandato, elegemos cinco prioridades em relação àquilo que consideramos estratégico para o desenvolvimento do concelho. A educação e a valorização profissional; a questão social; o apoio ao empreendedorismo; a valorização dos nossos recursos endógenos, onde se inclui o turismo, uma área na qual Ponte de Lima se tem afirmado nos últimos anos; e o estabelecimento de relações de parceria entre instituições e associações do concelho (e também exteriores) que nos ajudam a construir o nosso território.
 


«Ponte de Lima procura afirmar-se como um território de excelência no contexto nacional e internacional»    

Ponte de Lima é um concelho voltado para o futuro?
Sim. Primeiro, porque é o concelho mais jovem do distrito e tem uma enorme atratividade para fixar pessoas e empresas, nomeadamente em termos de benefícios fiscais.
Temos também um conjunto de equipamentos, e outros que estão em vias de conclusão, que procuram afirmar Ponte de Lima como um território de excelência no contexto nacional e internacional. Falo, por exemplo, da abertura do novo Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde; do Festival Internacional de Jardins e do Congresso Mundial de Jardins, que vamos receber brevemente. Vamos abrir este ano o Centro de Interpretação da História Militar de Ponte de Lima e um Centro de Interpretação do Território, o que, juntamente com o Museu de Arte Sacra e o Museu do Brinquedo Português (que já existem), contribuirão para criar uma rede museológica muito interessante. Temos um dos melhores centros históricos do país, cuja requalificação e fixação de jovens tem sido uma das nossas preocupações. Para além da programação cultural, organizamos um conjunto de feiras temáticas durante todo o ano. A gastronomia é igualmente muito importante, bem como o turismo da natureza e as atividades equestres.
Toda esta dinâmica faz com que Ponte de Lima seja realmente um território em que vale a pena viver, investir, e que vale a pena visitar. É hoje um dos concelhos mais visitados do país, fruto da sua localização geográfica, num contexto de aproximação à nossa vizinha Galiza. O nosso posto de turismo é o segundo mais visitado na região (recebe cerca de 70 mil pessoas anualmente), logo a seguir ao do aeroporto Francisco Sá Carneiro.

A Vila Mais Antiga de Portugal    


Afirmando-se como «a vila mais antiga de Portugal», foi em 1125 que D. Teresa conferiu foral a Ponte de Lima, referindo-se à mesma como a «Terra de Ponte». Detentora de um legado histórico marcado por uma vincada referência medieval, é no Rio Lima e na ponte medieval que une as suas margens ? construída a partir de uma romana ? que esta vila, que recusou ser cidade, encontra dois dos seus elementos mais emblemáticos.

Aqui, encontram-se vestígios da muralha e das nove torres mandadas erguer por D. Pedro no século XIV, descobrem-se estátuas, bustos e poemas que adornam os recantos de um centro histórico pitoresco que se espraia até ao rio? Monumentos, igrejas e solares ? ostentadores de fachadas góticas, barrocas, neoclássicas, oitocentistas ? são provas vivas dos hábitos de outros tempos, testemunhos de um passado secular que vive até aos dias de hoje.
Em Ponte de Lima, terra emoldurada pelo verde da flora e pela placidez das águas do rio, procura construir-se o futuro sobre uma história que orgulha todos os limianos, enaltecendo a sua valiosa herança patrimonial, cultural e natural, ressalvando simultaneamente o necessário equilíbrio entre ecossistemas e atividades humanas.

A Capital Mundial dos Jardins
 
Se Ponte de Lima é considerada a «capital portuguesa dos jardins» e conquistou já um distinto lugar entre as vilas e cidades mais floridas da Europa, em 2015 vai mesmo transformar-se na «capital mundial dos jardins». De 26 a 30 de maio, Ponte de Lima recebe o Congresso Mundial da World Urban Parks e o 9.º Congresso Ibero-Americano de Parques e Jardins Públicos, evento único que acontece durante a semana de inauguração do 11.º Festival Internacional de Jardins e do lançamento da 1.ª Feira de Espaços Verdes de Ponte de Lima.
Enfeitada por incontáveis jardins, Ponte de Lima totaliza uma área de cerca de 100 hectares de espaços verdes (públicos e privados) que albergam plantas peculiares, caminhos de flores e árvores frondosas, dando origem a espaços absolutamente mágicos. Parques como o Arnado, jardins como o Romano, o Renascença, o Barroco e o Labirinto, são apenas alguns dos exemplos passíveis de serem admirados em Ponte de Lima, tornando a vila num destino imperdível para os amantes da natureza.
Renovados trilhos rurais deram origem a ecovias que se estendem por 70 km, na sua maior parte junto ao rio, cruzando diversas freguesias do concelho e entrando na Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, onde se encontra a Quinta de Pentieiros e o Centro de Interpretação Ambiental.
 


Terra de Cultura e Tradições
 
É no apego às tradições que a alma limiana se revela e agiganta. Em dias de festa, Ponte de Lima fervilha de cor e de uma alegria contagiante, honrando hábitos ancestrais.
A folia atinge o seu auge nas Feiras Novas, romaria popular que se repete em setembro desde 1826, atraindo milhares de visitantes à vila. Gentes do concelho envergam opulentos trajes minhotos, embelezados por corações de ouro, brincos rendilhados e lenços bordados. Reúnem-se em festas, arraiais, desfiles e cortejos, tocam bombo e concertina, cantam ao desafio, dançam folclore, juntam-se a cabeçudos e gigantones, deixam-se enfeitiçar pelo fogo de artifício que pinta o rio de todas as cores?

As Feiras Novas trazem festa e folia a Ponte de Lima desde 1826.

Feiras, como a Quinzenal, e outras tradições, como a Vaca das Cordas ou a procissão do Corpo de Deus ? que passa sobre tapetes floridos de rara beleza criados pelos habitantes da vila ? entusiasmam Ponte de Lima ao longo do ano. Assim como lhe revela genuinidade o seu artesanato: rendas, bordados e peças de olaria? ou criações mais contemporâneas, como as bonecas Dulcineias, que partem do atelier Viana Cabral para o mundo enquanto mensageiras de uma nova forma de ser português.
Além da programação cultural (que ocorre no Teatro Diogo Bernardes e um pouco por toda a vila), ao Museu dos Terceiros ? berço de um dos melhores acervos de arte sacra do norte do país ? e ao Museu do Brinquedo Português (inaugurado em 2012), juntar-se-ão, até ao final do ano, o Centro de Interpretação da História Militar e o Centro de Interpretação do Território, dotando a vila de uma oferta cada vez mais diversificada.


Um dos Destinos mais Procurados da Região Norte
 
O legado histórico, o património natural e a intensa dinâmica cultural de Ponte de Lima colocam-na no topo dos destinos mais procurados do norte de Portugal. Afirma-se como o segundo posto de turismo mais concorrido da região e, na verdade, Ponte de Lima não carece de argumentos que justifiquem uma visita.
Além de hotéis e de outros espaços mimosos que surgem agora de cara lavada ? como a Mercearia da Vila ?, o concelho vê-se salpicado de solares, refúgios privilegiados para quem procura uma estadia em contacto com o passado, a natureza, os desportos náuticos, a ruralidade e a gastronomia. Esta última exerce, aliás, um autêntico magnetismo para os que visitam Ponte de Lima, não gozassem de tamanha reputação o arroz de Sarrabulho, os rojões, o leite-creme ou o vinho verde que por aqui se saboreiam. Os enchidos, os queijos, os doces e demais iguarias limianas podem ser provadas num dos vários restaurantes do concelho, em locais como a Loja Rural, ou em diferentes iniciativas gastronómicas que apimentam Ponte de Lima ao longo do ano e promovem a qualidade dos produtos locais. A propósito, o coração da vila receberá, em meados de 2015, o Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde, um projeto de dimensão regional que abonará igualmente a favor de uma paragem na «vila mais antiga de Portugal».
Os amantes do golfe encontram no Axis Golfe Ponte de Lima um dos mais completos e atrativos traçados de golfe do país. O Festival Internacional de Jardins, a Feira do Cavalo e as Feiras Novas são outros dos eventos que contribuem para atrair todos os anos milhares de turistas a Ponte de Lima.
 


Um Concelho Voltado para o Futuro
 
Procurando tirar partido das múltiplas riquezas que a abençoam, Ponte de Lima tem feito um esforço no sentido de se renovar de forma harmoniosa e de atrair simultaneamente habitantes, turistas e investidores.
Apesar do facto de ostentar a denominação de «vila mais antiga de Portugal», sente-se em Ponte de Lima um novo pulsar. Projetos recentes, como o Museu do Brinquedo Português e a Loja Rural, precedem outros tantos, como o Centro de Interpretação e Promoção do Vinho Verde, o Centro de Interpretação da História Militar e o Centro de Interpretação do Território, a inaugurar ao longo de 2015. De mãos dadas com estes, andam ideias frescas, empresas novas, bem como outras iniciativas que têm contribuído para projetar a vila mais florida do país no contexto nacional e internacional.
Ponte de Lima é um concelho jovem, por sinal, o mais jovem do distrito de Viana do Castelo. E tem, tal como os seus belíssimos jardins, vindo a florescer de dia para dia.
 

©F.Piqueiro/Foto Engenho

PARTILHAR O ARTIGO \\