Energie

Tecnologia com selo português

\\ Texto Andreia Filipa Ferreira
\\ Fotografia Manuel Teixeira

Luís Rocha é um amante da adrenalina. Provavelmente foi o mesmo espírito destemido que o levava a acelerar, prego a fundo, nas competições de automóveis que o conduziu para a maior aventura da sua vida, a Energie. Tudo começou em 1981, inspirado pela região verde de Benguela, em Angola, onde nasceu, e numa altura em que os temas da ecologia e energias renováveis estavam longe de ser uma preocupação. Visionário e incomodado com a poluição que não o deixava respirar sempre que visitava países europeus, Luís Rocha começou a desenvolver sistemas solares tradicionais na garagem de sua casa. O primeiro ainda lá está, a funcionar, cerca de 30 anos depois. Após muito estudo, hoje a Energie é uma das empresas portuguesas mais promissoras. Com soluções eficientes no que toca às águas quentes sanitárias, aquecimento central e climatização de piscinas, a empresa sediada na Póvoa de Varzim já conquistou o mercado internacional. Os números falam por si: em 2014, a Energie marcava presença em 45 países e a faturação ultrapassava os cinco milhões de euros, sendo o peso da exportação 86% desse valor. Agora, depois de dois anos a investir na inovação tecnológica e na criação de novos produtos para seduzir o mercado externo, a aposta passa por mostrar aos portugueses o que tão bem sabem fazer. «Queremos apresentar a empresa a Portugal», realça o CEO, Luís Rocha. 

A tecnologia da Energie está presente em 45 países.

Com uma produção made in Portugal composta por 41 funcionários, a Energie tem-se servido da sua tecnologia de ponta para marcar território e até arrebatar a concorrência. O concurso Solar Decathlon 2014, que consagrou o painel solar termodinâmico desenvolvido pela Energie, é um exemplo disso. Em parceria com a Universidade de Roma III, a Energie superou a eficiência japonesa, chinesa, americana e até alemã.

PARTILHAR O ARTIGO \\