Lourenço Lucena

O alquimista de aromas

\\ Texto João Afonso Ribeiro

O mundo de cheiros e aromas de Lourenço Lucena é composto por uma panóplia infindável de fragrâncias que o português conhece quase de cor. É num pequeno caderno que vai anotando as fórmulas, enquanto no outro extremo da mesa pequenos frascos estão meticulosa e ordeiramente dispostos numa caixa vintage de madeira, oferecida pelos professores da escola de perfumaria que frequentou em Paris e que Lourenço usa para guardar as matérias-primas que constituem a base primária que utiliza para dar vida aos perfumes e aromas que produz. O português recebe-nos no seu escritório, com uma estonteante vista para o rio Tejo, em Lisboa, que o inspira para trabalhar naquele que define como o «lado alquimista da vida». Lourenço Lucena é o único português a integrar a conceituadíssima Société Française de Parfumeurs e, mal se abrem as portas do atelier onde trabalha, sente-se uma mescla de aromas que imediatamente se entranha no nariz. Ao entrar, é-se recebido no mundo de alquimia de Lourenço Lucena. 

Lourenço Lucena recorda os tempos de juventude em que gastava a mesada em música e nos perfumes comerciais que ia comprando. O percurso profissional levou-o a criar a Blug, em 2001, uma agência de marketing que, desde o início, procurou diferenciar-se face à concorrência, tendo acabado por explorar a área do multissensorial, que defende a exploração dos cinco sentidos na criação de identidade de uma marca. Sem know-how para poder atuar diretamente na área do marketing olfactivo, umas das áreas inovadoras que compõem o tal espectro multissensorial da Blug, Lourenço Lucena percebeu que era a oportunidade ideal para conciliar um gosto muito próprio com um sector que explorava na empresa que construíra. Encontrou a Cinquième Sens, uma escola especializada em Paris e cuja formação culminou com a entrada na conceituada Société Française de Parfumeurs. Desde então, dando ênfase aos dotes que adquiriu em França, o seu universo profissional leva-o do marketing sensorial da Blug, com presença em Portugal e Moçambique, à L'Parfumeur, onde cria perfumes personalizados para pessoas ou marcas que queiram ter um perfume ultra-exclusivo e feito à sua medida. Lourenço organiza também jantares perfumados, um conceito inovador onde, juntamente com um chef de cozinha, é preparado um jantar que conjuga aromas e sabores subjacentes a um tema específico e cujo objetivo passa por estimular, simultaneamente, o olfacto e o paladar.

Para Lourenço, o perfume é um aroma que conta uma história. «Não parto para uma composição de um perfume sem saber onde quero chegar», diz. Para qualquer história que queira contar, Lourenço escolhe as matérias-primas mais indicadas, cria uma formulação e depois vai testando, até chegar ao resultado final. O perfume, na concepção de Lucena, deve ser algo belo, harmonioso e equilibrado: «o perfume tem um enredo e, no final, é como qualquer história: tem que ter um final feliz». Defende que deveria ser impensável usar o mesmo perfume todos os dias. Em tom retórico, questiona se usamos o mesmo calçado para correr, ir trabalhar ou assistir a um espectáculo, e explica que um perfume deve, acima de tudo, constituir mais um traço da nossa personalidade. «Nos perfumes devíamos ser altamente infiéis», comenta sem rodeios.    

PARTILHAR O ARTIGO \\