Paisagens

Conor O'Neill

\\ Texto Maria Cruz
\\ Fotografia ©PMC

O papel da natureza e o gosto pela jardinagem, resultado das suas origens, Irlanda, levou Conor O’Neil a abraçar o projeto Q Landscape, como diretor, na Quinta do Lago, no Algarve, em 2010. Originário de uma família de agricultores, onde tudo o que era cultivado na fazenda ia para a mesa, no mundo do trabalho, e criando os inigualáveis jardins, Conor transmite os seus ideais de vida, em cada projeto que desenvolve. Moldando-os com as cores das flores e de todo o tipo de plantas, a beleza da natureza aliada ao requinte do cliente faz o resto. Aqui, cada projeto é diferenciador, único e especial.

 

Q Landscape é uma empresa jovem, que prima pela beleza da jardinagem. Quando iniciaram este projeto na Quinta do Lago?

Sempre houve paisagem no coração da Quinta do Lago. Olhe em redor: a maturidade e beleza… é magnífico! Isto já existia aqui antes de mim. Eu comecei na Q Landscape em 2010, na Quinta do Lago, trazendo mais opções aos clientes do resort. Gosto de pensar que criámos a nossa marca e trouxemos a paisagem a um nível superior.

 

O que trouxe de novo à Quinta do Lago a Q Landscape e o Conor?

A Q Landscape traz uma sensação jovem, mas vibrante. Como disse, a Quinta do Lago tinha uma base fantástica a nível de paisagem. Todos os dias é um desafio no reforço da sua beleza. A maioria do nosso trabalho não pode ser visto, como acontece nas moradias privadas. Gosto que alguns aspetos das nossas obras se mantenham em segredo, pois assim apenas eu e o cliente desfrutamos.

«Os projetos com os quais trabalhamos, nos últimos anos, são o sonho de todo o designer»

O Conor tem a paixão e o know-how da jardinagem. De que forma se trabalha um projeto destes?

Também já me fiz essa pergunta. Quando se trabalha num projeto na Quinta do Lago, é para uma classe necessariamente diferente. Não é difícil para nós criarmos na nossa mente um projeto, mas o material que imaginamos vem de fora. Essa é a parte divertida do trabalho. Se não existir, iremos à procura até encontrar. Os projetos com os quais trabalhamos, nos últimos anos, são o sonho de todo o designer.  

O jardim das casas são o cartão de visita para o cliente?

Estaria mentindo se eu dissesse que não era! Os nossos projetos de jardim têm muitos aspetos diferentes, que os nossos potenciais clientes podem relacionar, mas a única coisa que gosto que os nossos projetos de jardins tenham comum é a cor da relva.

 

O Conor e a sua equipa criam verdadeiras atracções paisagísticas, com as ideias inovadoras e criativas de um jardim. Há sempre criatividade para a realização de um novo jardim?

Sim, claro! Em 80% dos casos, o cliente já tem uma visão clara do que quer. Depois, eu e a minha equipa desenvolvemos o projeto, mas é interessante quando podemos surpreender os proprietários, com coisas que não esperavam, superando as suas expectativas.

 

Num jardim tudo é colocado ao pormenor: as flores, as zonas verdes, o relvado… é esse o segredo da equipa que gere?

Não vou revelar os nossos segredos, mas posso dizer que um jardim pode ser concebido e construído, mas se o designer e a equipa não acreditam no projeto, esse jardim será como todos os outros.

 

Com três dos melhores campos de golfe da Europa, a Quinta do Lago foi a escolha certa para o Conor mostrar o seu magnífico trabalho neste mundo paisagístico?

Sim, não poderia ser mais perfeito. O palco estava aqui, agora precisamos igualar o desempenho.

 

É difícil criar jardins únicos e apelativos?

É uma combinação de o que os clientes querem, a nossa visão e técnica, o know-how e o sentir. Compreender a natureza e o que a rodeia ajuda a criar os jardins mais inspiradores. É tudo uma questão de equilíbrio entre a paisagem, a arquitetura, não esquecendo nunca a natureza.

PARTILHAR O ARTIGO \\