São Miguel - Açores

A ilha verde

\\ Texto Maria Amélia Pires
\\ Fotografia Visitazores

Situada no grupo oriental, S. Miguel é a maior das ilhas açorianas e uma das principais portas de entrada do arquipélago. As suas paisagens floridas, a impressionante beleza das suas lagoas e jardins, as muitas reservas florestais, os inúmeros monumentos que ilustram a história e o bulício das suas cidades fazem de S. Miguel um dos destinos mais completos dos Açores.

Se houve tempos em que a sua economia assentava grandemente na produção de laranja, nos finais do século XIX houve necessidade de se apostar no cultivo do tabaco, do ananás e criaram-se as únicas plantações de chá da Europa: Gorreana e Porto Formoso. No entanto, nos últimos tempos, o maior dinamismo de S. Miguel deve-se ao turismo. E talvez as principais responsáveis sejam aquelas imagens que nos deslumbram, lagoas coloridas que se abrem na verdejante paisagem.  

A oeste, a Lagoa das Sete Cidades, formada pela união da Lagoa Azul e da Lagoa Verde, é a maior. Está rodeada por uma densa vegetação cortada por caminhos ladeados de hortênsias e criptomérias e oferece inúmeros miradoiros, à medida que se desce até à pacata localidade das Sete Cidades. 

Quase no centro da ilha, bem perto da Ribeira Grande, encontra-se a Lagoa do Fogo, rodeada por uma Reserva Natural. Mais a oriente, está a Lagoa das Furnas, abraçada por flores e árvores e bafejada por um odor a enxofre que denuncia a proximidade das caldeiras, onde se colocam os tachos que confeccionam o famoso cozido. Na vila das Furnas, podem ver-se as caldeiras em ebulição, com géiseres de água fervente e pequenas fontes, de onde brotam águas minerais. Nas Furnas há também um campo de golfe com 18 buracos e existe o Parque Terra Nostra: lagos, piscina termal e opulenta vegetação, com espécies raras provenientes de todo o mundo.

Percorrendo a recortada orla costeira, cheia de entrantes e salientes, há praias de areia preta e algumas piscinas naturais formadas pelos corrimentos de lava em direcção ao mar. As praias mais populares são as do Pópulo e da Milícia, bem próximas de Ponta Delgada.

Mas a soberba beleza natural de S. Miguel vê-se complementada pela riqueza das suas igrejas, capelas a ermidas, a imponência das suas fortalezas, a harmoniosa presença das suas mansões e pelas inúmeras opções de lazer. Em Ponta Delgada, a capital administrativa do arquipélago, visite as Portas da Cidade, a Igreja Matriz, o Convento de Nossa Senhora da Esperança, o Forte de São Brás e a Ermida de Nossa Senhora Mãe de Deus, entre muitos outros pontos de interesse. A cidade respira história e seduz pelo seu ambiente cosmopolita, pela gastronomia, pelos seus românticos jardins, pelas suas ruas apertadas e calcetadas.

Muito mais esconde S. Miguel, mas para descobrir as paisagens que se ocultam e se revelam com as fumarolas que dançam ao sabor do vento será necessário um prolongado encontro com a terra e suas gentes.

PARTILHAR O ARTIGO \\