Laurel Way

Oasis in Califórnia

\\ Texto Estela Ataíde

Transformar cada divisão numa autêntica caixa de tesouros e numa experiência sensorial com o seu próprio carácter arquitectónico. Foi este o fio condutor que orientou os criativos da Whipple Russel Architects no desenvolvimento desta residência em Beverly Hills, Califórnia.
Nos primeiros instantes na casa Laurel Way a sensação imediata é de uma leveza inerente e de uma constante ligação com o exterior. Por toda a propriedade é visível o equilíbrio entre os elementos arquitectónicos verticais e horizontais, quase geométricos, e o lado fluido da residência, conferido pelos três níveis de vegetação e pelos dois canais de água que rodeiam a casa, conferindo-lhe a aparência de uma ilha flutuando no céu azul da Califórnia. Este «fosso de água» acrescenta também ao edifício uma sensação de limite, de protecção, sem no entanto obstruir a paisagem.

Nos seus primeiros momentos dentro da casa Laurel Way a sensação imediata é de uma leveza inerente e uma conexão constante com o ar livre.

Denunciando a assinatura do seu arquiteto, a Laurel Way tem como um dos elementos centrais da sua composição o jogo de texturas usado recorrentemente pelo arquiteto Marc Whipple. Texturas macias junto de pedra bruta e painéis de madeira rica combinados com vidro criam ambientes requintados e acolhedores cujas características (aquecimento, iluminação, lareiras, etc.) podem, graças ao sistema de domótica instalado em toda a propriedade, ser controladas nos iPads e iPods espalhados pelas divisões ou no iPhone do proprietário, em qualquer ponto do mundo.

Enfatizando em cada divisão a relação entre vida interior e exterior, este projeto tira partido das vistas deslumbrantes sobre o Oceano Pacífico, seja a partir das divisões repletas de paredes de vidro, dos terraços e jardins ou da piscina infinity cuja construção atrai o olhar para o horizonte. 

PARTILHAR O ARTIGO \\