A Balança só não chega

Tomás Barbosa

Nutricionista Clínica do Tempo

Pesar-se é importante e deve ser uma tarefa habitual e diária, no entanto não é suficiente para relacionar o seu estado de saúde com o peso que tem.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) desenvolveu um indicador que relaciona o peso com a altura, o Índice de Massa Corporal (IMC), e permite classificar o peso em função de alguns riscos de saúde, nomeadamente diabetes, hipertensão e hipercolesterolemia. Contudo, este indicador nada diz sobre como o seu peso se distribui ou como ele se compõe. Daí ser possível alguém ter um peso saudável, segundo o IMC, mas ter gordura em excesso, tornando-se ainda pior se esta se alojar no abdómen. Assim como é também possível alguém ter excesso de peso, segundo o mesmo índice, e ter níveis baixos de gordura.

Por conseguinte, e dada esta lacuna no IMC, o perímetro abdominal é também um importante indicador que deve usar de forma habitual, uma vez por semana, quando se for pesar. Com estes dois indicadores, saberá se mesmo mantendo o seu peso, ou não observando diferenças significativas, mantém, aumenta ou diminui a gordura abdominal. Para a diminuir, além de restringir calorias na sua dieta e fazer exercício físico, poderá realizar o Liposhaper – a verdadeira ‘lipoaspiração’ não-invasiva da Clínica do Tempo, sem cortes, sem incisões, sem tempo de recuperação, sem todos os inconvenientes do processo cirúrgico, que lhe permite reduzir até 20 cm do perímetro corporal numa só sessão de tratamento.

Este perímetro, também determinado pela OMS, relaciona o seu nível de gordura abdominal com um risco aumentado de desenvolver alguma patologia cardiovascular, principalmente quando ele é superior a 102 cm no caso dos homens e 88 cm no caso das mulheres, apesar de já existir algum risco quando nos homens é superior a 94 cm e nas mulheres a 80 cm.

Em suma, pesar-se é muito importante mas, como é incompleto, uma vez por semana meça o seu perímetro abdominal. 

PARTILHAR O ARTIGO \\