\\ Texto Maria Cruz
\\ Fotografia Direitos Reservados

Convento dos Capuchos

Três milhões de euros para restauro

Depois de um estudo de conservação aos edifícios, e de um levantamento de necessidades técnicas e materiais, passou-se à fase de restauro. As obras de requalificação e restauro integral do Convento dos Capuchos estão a decorrer e a conclusão dos trabalhos aponta para o ano de 2018. Até lá, muito há para se fazer! A Parques de Sintra, empresa de capitais exclusivamente públicos, é a entidade que faz a gestão deste projeto. Mas tudo só acontece através de receitas de bilheteiras, lojas, cafetarias e aluguer de espaços para eventos. O que se pretende com estas obras é recuperar e preservar o local, desde os caminhos da cerca conventual, dando atenção à área paisagística e ao sistema de águas tradicionais, e a todo o monumento ali existente. Com este trabalho «pretende-se a renaturalização da área, recorrendo para isso à plantação de espécies nativas da Serra de Sintra, à protecção da flora e habitats classificados e ao controlo de espécies invasoras lenhosas», acrescenta Nuno Oliveira, diretor Técnico para o Património Natural da Parques de Sintra. Este projeto de restauro está dividido por três zonas: o interior da cerca conventual, o exterior da cerca conventual e parte da Tapada de D. Fernando II (zona do parque de estacionamento e antigas instalações do parque de campismo e a Reserva de Burros).

O Convento de Santa Cruz da Serra de Sintra, também denominado por Convento dos Capuchos ou ‘da cortiça’, foi edificado em 1950 por D. Álvaro de Castro, para cumprir um voto de seu pai. Durante anos, foi habitado por frades franciscanos. Agora, depois de concluídas as obras, voltará a receber os visitantes. É um monumento que une a natureza ao património cultural. Em 1995, foi integrado na Paisagem Cultural de Sintra pela UNESCO como Património da Humanidade.

PARTILHAR O ARTIGO \\