Kruger Park

Um tour selvagem

\\ Texto Maria Cruz
\\ Fotografia ©PMC

Cidade de Maputo, Moçambique. Planeia-se o safari ao Kruger Park, na África do Sul, com o acompanhamento do guia turístico Titos, da agência Moz Tour Guide, que há oito anos faz estes tours

Eram 5 horas da manhã quando o despertador tocou. Era hora de acordar e levantar. Estávamos aptos para a partida. Batiam as 5h30 no relógio, numa bela manhã de Domingo, fria, que não tardou a aquecer, quando iniciámos a viagem. Pouco mais de duas horas depois, estávamos na fronteira de Moçambique com a África do Sul. Seguiram-se os parâmetros normativos, carimbou-se o passaporte com um visto de entrada, e lá seguimos o itinerário. Enquanto avançávamos, assistíamos à entrada de variadíssimas carrinhas de comerciantes que esperavam por passar a fronteira e entrar em Moçambique. Iam a abarrotar, cheias de produtos comprados em território sul-africano, para comercializar no país. A fila era extensa. Enquanto isso, nós seguimos caminho e não demorou muito até chegarmos à entrada do Kruger Park. 

Chegados à entrada do Kruger Park, passámos a ponte dos crocodilos, que se encontra sobre o rio Incomati – rio que nasce na província sul-africana de Mpumalanga –, e subimos a rampa até à entrada ‘principal’ do parque. Depois de pagos os ingressos, fizemos uma pequena paragem para comprar alguns mantimentos e bebidas para o dia. De seguida, partimos para a aventura selvagem. O dia ainda mal tinha nascido, mas não foi preciso esperar muito tempo para vermos os primeiros anfitriões. Eram os oribis. Lindos! E o dia começou lindamente com o sol a raiar. De seguida, muitos outros animais se mostraram ao longo do nosso passeio ao parque, por estradas de asfalto e de terra batida. E, apesar da falta de chuva, nos últimos dois anos, a vegetação parecia viva no local. 


\\ Fotografia ©PMC

A savana africana é um dos destinos que mais turistas atrai à África do Sul. Observar e fotografar algumas das espécies mais raras do planeta é o que leva muitos curiosos, como nós, a aventurar-se numa viagem pelo Kruger Park. E neste universo paisagístico e faunístico podemos encontrar de tudo um pouco: leões, elefantes e búfalos (avistámos mais nas margens dos rios), leopardos, rinocerontes - os considerados big five. Há, ainda, milhares de espécies de aves. São variadíssimas as espécies de mamíferos, peixes, anfíbios, répteis. Sem falar na riqueza da flora que preenche parte da floresta. Vimos girafas, elefantes, cabras-de-leque, impalas, macacos, zebras, bois cavalo, kudu, rinoceronte, porcos-bravos… Não há certeza exacta da quantidade de animais ali existentes. Certo é que são muitos! O que mais nos impressionou foi observar a delicadeza com que um elefante se atravessa, na estrada, à frente do carro, antes de uma curva, e a forma ‘simpática’ como caminha, lentamente, até se esconder na vegetação.

O Kruger Park, inserido na reserva da Biosfera Kruger-Canyons, é a maior área protegida de fauna da África do Sul. É um dos destinos mais procurados para Safari. Abrange uma área de cerca de 20.000 km2 e está situado mais a nordeste do país, em Mpumalanga e Limpopo, fazendo fronteira com Moçambique.

 


\\ Fotografia ©PMC

Considerada uma das maiores e diversificadas reservas de animais do mundo, o difícil é ter a noção para onde se deve olhar e captar a melhor imagem e até saber escolher o melhor figurino. Tudo é enriquecedor. Uma visita não é suficiente. Fica a vontade de querer voltar para sentir e olhar, de novo, outras espécies que não tivemos a oportunidade de ver, talvez porque não se quisessem mostrar aos olhos humanos. O safari foi uma das melhores experiências de vida selvagem pelas quais passámos. 

O Kruger Park, para além da belíssima savana, dispõe de um serviço de acomodações para os visitantes que queiram pernoitar por lá, ou até ficar por vários dias. E nós, na hora da despedida, deixámos para trás uma experiência única e reveladora. Regressámos a Maputo, já com o cair da tarde, e a vontade que ficou foi a de lá voltar. Um dia não chega para tanta beleza. 


\\ Fotografia ©PMC


\\ Fotografia ©PMC

PARTILHAR O ARTIGO \\