David Ferreira

O designer «over the moon»

\\ Texto Maria Cruz
\\ Fotografia Direitos Reservados

David inspira-se naquilo que o fascina: o grotesco e o que é visualmente violento.

Pouco tempo depois de finalizar a licenciatura recebe a notícia de que vai participar na semana de moda de Nova Iorque. Apresentando a sua primeira colecção, David Ferreira, um dos mais jovens estilistas portugueses, não queria acreditar! Porém, assim aconteceu. Nomes como Nicolas Fornnichetti, Vogue, Anna Sophia Robba, Elle e Interview Magazine estavam lá para ver as suas criações. E David sentiu-se «over the moon». Razões tinha de sobra! Jovem, de apenas 26 anos, viu o seu nome estar presente numa das capitais de moda do mundo. O designer de moda, natural de Aveiro, Portugal, tem tudo pela frente para um futuro promissor. Ainda com mãos de ‘principiante’, mas já com linhas bem traçadas, o novo rosto da moda portuguesa confessa que o que o trouxe até aqui foi a sua «formação, determinação e paixão pela indústria». E, tal como David, quando se cria de coração as peças ganham alma! 

David Ferreira

As suas peças podem ser encontradas no seu estúdio na Rua Rodrigues Sampaio 21, em Lisboa.

É de Aveiro. Ao Porto deve parte da sua sabedoria, do que aprendeu, experimentou e vivenciou nas aulas, na Escola Profissional Árvore. E a Londres o agradecimento por se ter aperfeiçoado, muito mais, ao nível do estilismo, na universidade de Central Saint Martin’s e na Westminster, uma das melhores universidades de moda do mundo.

Na capital britânica trabalhou com grandes nomes do design, como Íris Van Herpen, Giles Deacon ou Meadham Kirchhoff. Participou no Vfiles Made Fashion, em 2015, conseguindo assim ter a oportunidade de desfilar, no mesmo ano, em Setembro, na Semana de Moda de Nova Iorque. Logo após esse desfile, o português apresentou a colecção Primavera-Verão 2016, na capital onde estudou durante sete anos, Londres, depois de lhe ter sido atribuído o prémio de mérito pela Fashion Scout e, com isso, ter a oportunidade de participar no London Fashion Week.

E foi a dedicação ao trabalho que levou o Couturier Alexis Mabile a contactar David para fazer parte do Les Etoiles Mercedes-Benz – acabando por receber do júri a Estrela Mercedes-Benz. Tudo isto aconteceu num período de um ano, após apresentação em Nova Iorque.

 

Também a cantora Islandesa, Bjork, que é sinónimo de autenticidade, vestiu no concerto em Hammersmith Appolo, em Londres, um vestido da autoria de David, mas já antes tinha usado uma headpiece, também do designer, nos Brit Awards 2016. O jovem designer não se lembra de que como passou a gostar da moda, mas arrisca-se a dizer que «é um pouco de individualismo, logo, é sinónimo de autenticidade». Na sua última colecção Outono-inverno 2017, usou um tecido bordado com fios de metal, e inspirou-se no ser individual, no ser único. «Pois o verdadeiro luxo da vida é ser livre», termina David.

Mariza


\\ Fotografia Sérgio Garcia

PARTILHAR O ARTIGO \\